sábado,

13/07/2024

Joinville/SC

Traficante italiano procurado internacionalmente é preso no Litoral Norte

A Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Delegacia de Investigações Criminais (DIC) de Laguna, lançou a operação “Exspiravit” para investigar desvios de R$ 1,7 milhão dos cofres do município de Pescaria Brava.

De acordo com as investigações, entre 2020 e 2022, o ex-prefeito de Pescaria Brava, Deyvisonn de Souza (MDB), teria se associado a um empresário vencedor de diversas licitações no município para desviar verbas públicas destinadas ao pagamento de trabalhadores das Secretarias de Educação e Obras.

Em vez de serem usados para seus fins legítimos, os recursos foram supostamente utilizados para pagar apadrinhados políticos e cabos eleitorais.

A operação cumpre oito ordens judiciais, incluindo mandados de busca e apreensão e de sequestro de bens dos investigados, totalizando R$ 1.708.405,92 em bens bloqueados.

Além do desvio, as investigações revelaram superfaturamento de contratos, com pagamentos inflacionados em até 50%. Entre os exemplos está o pagamento ao pai de um vereador de Joinville, que raramente visitava Pescaria Brava.

Esta é a quarta fase da Operação Exspiravit. As fases anteriores foram realizadas em sigilo.

A primeira fase ocorreu em novembro de 2023 na prefeitura de Pescaria Brava. A segunda fase, em janeiro, teve como alvo imóveis em Joinville.

A terceira fase resultou em 20 mandados de busca e apreensão em Laguna, Pescaria Brava e Criciúma.

 

Foto: Divulgação/PCSC
Você não pode copiar o conteúdo desta página
Pular para o conteúdo