sexta-feira,

19/07/2024

Joinville/SC

Prefeitura de Joinville realiza visita técnica sobre o método Wolbachia no Rio de Janeiro

Durante esta semana, a vice-prefeita Rejane Gambin realizou visitas técnicas em Niterói e no Rio de Janeiro, acompanhada por técnicos da Secretaria da Saúde de Joinville.

O objetivo da visita foi conhecer mais detalhes sobre a implantação e o funcionamento do método Wolbachia, que vem colaborando com o combate à dengue no município fluminense.

“A visita foi muito importante para ver, na prática, o exemplo bem sucedido de Niterói e entender como o método está ajudando o município a superar a epidemia de dengue. Estamos convictos que este é o melhor caminho para a nossa cidade e vamos seguir avançando”, detalha a vice-prefeita.

Em Niterói, o método Wolbachia começou a ser implantado em 2015. No ano passado, foi o primeiro município do Brasil a ter 100% do território coberto pela estratégia.

De acordo com as informações fornecidas pela Prefeitura de Niterói, houve redução de aproximadamente 70% dos casos de dengue, 60% de chikungunya e 40% de zika.

O primeiro compromisso da visita técnica foi na Secretaria da Saúde de Niterói, onde a vice-prefeita reuniu-se com a secretária Anamaria Schneider para saber mais detalhes sobre a situação da dengue na cidade e como o método Wolbachia tem colaborado na redução dos casos confirmados e dos óbitos.

Na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o grupo esteve reunido com Diogo Chalegre, líder de Relações Institucionais e Governamentais do World Mosquito Program (WMP) no Brasil, que traçou um cenário do Wolbachia em diversas localidades.

Além disso, visitaram a Biofábrica, que fica localizada na Fiocruz do Rio de Janeiro, e acompanharam a soltura dos Wolbitos, que são os Aedes aegypti com Wolbachia, em algumas localidades.

O controle da soltura utiliza tecnologia de geolocalização para o controle e o monitoramento.

Sobre o método Wolbachia

Além de Joinville, outras cinco cidades estão recebendo o método nesta fase: Londrina e Foz do Iguaçu (PR); Uberlândia (MG); Presidente Prudente (SP) e Natal (RN).

O programa é desenvolvido pela World Mosquito Program (WMP) e tem a parceria do Ministério da Saúde e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

O método de controle das arboviroses foi desenvolvido na Austrália e, atualmente, está presente em mais de 20 cidades de 14 países.

Além disso, os dados de monitoramento revelam que os Wolbitos estão se estabelecendo em níveis muito bons nos territórios.

O Wolbachia é uma medida complementar. A população deve continuar a fazer todas as ações para o controle da dengue, zika e chikungunya.

Para obter mais informações sobre o Método, basta acessar o site wmpbrasil.org e conferir as redes sociais do programa (@wmpbrasil) e da Prefeitura de Joinville.

Você não pode copiar o conteúdo desta página
Pular para o conteúdo