sexta-feira,

12/07/2024

Joinville/SC

Visitantes da Feira do Livro conhecem patrimônio cultural de Joinville

Entre as atividades da 20º Feira do Livro, está o Percurso Cultural, um passeio pela região central de Joinville para que os moradores conheçam mais sobre as edificações históricas, obras de arte, arquitetura e monumentos da cidade.

Na terça-feira (11/6) um grupo fez o trajeto, que se repetirá nesta quinta-feira (13/6), a partir das 15h.

O passeio a pé, que comporta até 20 pessoas, é desenvolvido pela Secretaria de Cultura e Turismo (Secult). A participação na atividade é gratuita.

Saindo do Expocentro Edmundo Doubrawa, onde ocorre a Feira do Livro, a primeira parada foi para apreciar o painel “O Grande Circo”, de Juarez Machado, que fica em frente ao Centreventos Cau Hansen.

O mural, considerado a maior obra de arte do artista joinvilense, é composto por 963 peças cerâmicas pintadas à mão.

Seguindo pela avenida Beira-rio, a Casa da Cultura Fausto Rocha Júnior, o prédio do Arquivo Histórico de Joinville e do Museu Arqueológico de Sambaqui de Joinville ganham destaque.

O trajeto prossegue pelas ruas Tijucas e Dona Francisca tendo nova parada na rua Engenheiro Niemeyer, onde fica o Palacete Niemeyer.

Construído em 1906 pelo comerciante Luiz Niemeyer, filho de Johann Otto Louis Niemeyer, ex-diretor da Colônia Dona Francisca, atual Joinville, o prédio é tombado em âmbito estadual. Antes desta construção, o terreno abrigou a direção da Colônia, exposições agroindustriais e também a escola do Padre Carlos.

Fernanda Freitas trabalha com redes sociais e na tarde de terça-feira fez o percurso acompanhada pelos avós. Formada em história, conta que já estudou sobre patrimônio histórico mas ficou impressionada com a história do Palacete Niemeyer, que não conhecia.

“É muito interessante ouvir sobre os povos originários, os afrodescendentes que estavam aqui antes da chegada dos germânicos. Passarei a olhar a cidade com outros olhos. Descobri muita coisa nova”, revelou.

Durante o Percurso Cultural, o coordenador técnico do sistema municipal de museus de Joinville, Mateus Roberto Carle, falou sobre patrimônio histórico e cultural, com informações sobre imóveis tombados, apresentou os que já passaram por restauro, abordando a história e memória do Centro de Joinville.

Entre as curiosidades, está a história de muitas ruas e edifícios, como o prédio da Loja Sofia, na Rua do Príncipe, que foi um clube social frequentado por quem não era germânico.

Na rua XV de Novembro, os participantes apreciaram a arquitetura da Sociedade Harmonia Lyra, que ostenta o trabalho que o artista Fritz Alt fez na edificação.

O passeio cultural também passou pela Praça da Bandeira, que abriga o Monumento ao Imigrante, uma obra de Fritz Alt encomendada pela Prefeitura para o centenário do município e recentemente restaurada.

O trajeto do Percurso Cultural inclui prédios tombados como o Palacete Schlemm, repleto de ornamentos feitos pelo artista Fritz Alt e que fica na esquina das Ruas do Príncipe e Jerônimo Coelho.

A Deutsche Schule (antiga Escola Alemã), na rua Princesa Isabel, possui arquitetura germânica e foi tombada pelo Estado.

No mesmo terreno fica a Igreja da Paz, outra edificação com proteção cultural e que também foi fundada pela comunidade luterana logo após a chegada dos imigrantes europeus à Joinville.

Com foco na educação patrimonial, o Percurso Cultural tem duração de cerca de 1h30, tornando-se uma experiência de contemplação e interpretação da história de Joinville.

Na quinta-feira, a saída, às 15 horas, será no Expocentro Edmundo Doubrawa e a inscrição, gratuita, pode ser feita na secretaria da Feira do Livro.

Você não pode copiar o conteúdo desta página
Pular para o conteúdo