quinta-feira,

18/07/2024

Joinville/SC

Software desenvolvido em Araquari consegue prever cenário da dengue

A Secretaria de Saúde de Araquari desenvolveu um software, que consegue prever com antecedência de 30 dias, como o cenário da dengue deve se comportar. 

O modelo matemático foi programado pelo analista de TI, da Prefeitura de Araquari, que também é doutor em computação de alto desempenho, Renan Cavalcanti Filgueiras de Souza. Para fazer a análise, o programa usou dados como notificações de dengue e pessoas doentes. 

“É um modelo autorregressivo que funciona com médias móveis, isso significa que ele olha para seu estado anterior e com isso a gente consegue prever com 30 dias de antecedência o que vai acontecer, uma vez que a dengue é um fenômeno que tem sazonalidade extremamente forte. O índice de assertividade é de 86%, o que estatisticamente falando, é bastante alto”. 

 

O projeto foi destaque no Congresso Nacional de Tecnologia e Inovação em Saúde, realizado em Chapecó/SC, no mês de maio. 

 

Com base nos dados, a previsão é que o ciclo de contágio e transmissão da dengue apresente um cenário de queda, no próximo mês. 

O reflexo apareceu nos atendimentos do PA 24h. Em Abril a média de atendimentos era 430, por dia, e hoje, 250.  Segundo o diretor de Vigilância em Saúde de Araquari, Diogo Lopes, isso não significa uma postura de relaxamento, a comunidade precisa estar vigilante, uma vez que 90% dos focos encontrados estavam nas residências.

 

“Apesar de termos conseguido frear a curva crescente nos casos de dengue, é extremamente importante não descuidar, cuidar do nosso quintal, dos arredores, denunciar se for preciso, e em qualquer sinal de dengue, procure uma unidade de saúde mais próxima, porque dengue, mata”.

 

Em Araquari, além dos mutirões de limpeza, aplicação do fumacê, e campanhas de conscientização, o combate ao mosquito transmissor da dengue ganhou reforço.

Durante 30 dias os Agentes Comunitários de Saúde atuaram junto aos Agentes de Combate às Endemias, no combate ao mosquito.

 

A equipe aumentou de 15 para 95 servidores, que levavam a informação para a comunidade durante as visitas domiciliares de rotina. Reforço que fez a diferença. 

 

Até agora Araquari registrou 7.310 notificações de dengue, sendo que 5.200 foram confirmadas, e 322 permanecem em investigação. Do início do ano até agora, cinco pessoas perderam a vida por causa da doença.

O último óbito foi registrado no dia 11 de maio. A vítima é um homem, de 63 anos de idade, morador do bairro Itinga, que não tinha comorbidades.

Você não pode copiar o conteúdo desta página
Pular para o conteúdo