sexta-feira,

12/07/2024

Joinville/SC

Musk ataca Lula e diz que Moraes tem presidente numa “coleira”

O bilionário americano Elon Musk fez uma nova declaração polêmica em sua conta na rede X, acusando o ministro Alexandre de Moraes de ter o ex-presidente Lula sob controle.

“Como Alexandre se tornou o ditador do Brasil? Ele tem Lula numa coleira”, escreveu Musk em seu post.

Em resposta a uma publicação do deputado Marcel Van Hattem, Musk também afirmou que foi Moraes quem retirou Lula da prisão e, por isso, tem Lula “na coleira”

Além disso, o bilionário sugeriu que o parlamento deve promover o impeachment do ministro.

Em sua última publicação, Musk retuitou uma postagem do Deputado Federal Nikolas Ferreira com a legenda “Brave Man”, na qual o deputado criticou o fato de que uma investigação foi aberta contra ele apenas por afirmar que Lula é um corrupto que deveria estar na prisão.

 Repercussão

 

O Ministro Alexandre Moraes afirmou que  plataforma de Musk estão em desacordo com a legislação brasileira.

No sábado (6), Musk anunciou sua decisão de desbloquear contas na rede social que haviam sido suspensas por decisões judiciais.

Essa medida pode favorecer diversos influenciadores e defensores do bolsonarismo que tiveram seus perfis removidos.

Musk argumenta que as “multas pesadas” aplicadas pelo ministro estão causando prejuízos financeiros à rede social no Brasil, ameaçando, por isso, fechar o escritório do X no país.

No domingo (7), o empresário afirmou que a empresa publicará em breve tudo o que foi solicitado pelo ministro, evidenciando como essas exigências violam a legislação brasileira.

Em sua declaração, Musk afirmou que “este juiz traiu descaradamente e repetidamente a constituição e o povo do Brasil. Ele deveria renunciar ou sofrer impeachment”.

Por sua vez, Moraes incluiu o dono do X como investigado no inquérito das fake news e ordenou a abertura de uma investigação para apurar possíveis delitos, como obstrução de Justiça ou incitação ao crime.

Além disso, o magistrado rejeitou o pedido do X no Brasil para que a responsabilidade sobre as determinações judiciais fosse atribuída à empresa X internacional.

Você não pode copiar o conteúdo desta página
Pular para o conteúdo