sexta-feira,

12/07/2024

Joinville/SC

Defesa Civil e Bombeiros Voluntários de Joinville permanecem no Rio Grande do Sul até sábado

Em mais um dia de trabalho realizado no Rio Grande do Sul, o grupo formado pelo coordenador da Defesa Civil de Joinville, Jairo Machado, e por bombeiros voluntários da cidade está atuando no bairro Santo Antônio, na Vila Farrapos, em Porto Alegre.

Na quinta-feira (9), os resgates ocorreram também no bairro Humaitá. Eles devem permanecer no estado gaúcho até sábado (11).

Nesta sexta-feira (10), a manhã foi sendo chuvosa na capital do Rio Grande do Sul, conforme já era previsto pela meteorologia, e ainda há muitas regiões que só podem ser acessadas com barco.

A embarcação utilizada pelos resgatistas joinvilenses pertence ao Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville.

Durante a manhã, a equipe recebeu um pedido para resgatar os cães de uma moradora que precisou deixar a residência.

Os animais já estavam há cinco dias aguardando por ajuda. Um vizinho da tutora dos animais acompanhou a equipe até o endereço.

Ao chegar ao local, o grupo encontrou mais um cão.

Os quatro animais foram resgatados e levados para um lugar seguro e depois serão encaminhados para o convívio com a tutora.

Outro resgate realizado no início da tarde, foi de uma senhora de 72 anos, que precisou sair de casa.

Ela mora no oitavo andar, em um prédio no bairro Humaitá e foi carregada no colo até a embarcação.

A idosa deixou a residência depois que acabou o estoque de alimentos e água que tinha para ela e para o gato de estimação.

O gato foi transportado para um abrigo junto com a tutora. Nesta região, a água que estava escoando, tende a estabilizar pois a chuva voltou a cair.

A equipe joinvilense está instalada, durante o dia, em uma base montada no Viaduto José Eduardo Utzig, onde há suporte com profissionais de diferentes especialidades, incluindo médicos veterinários.

É deste ponto que os resgatistas saem quando são acionados.

Desde o início do trabalho dos joinvilenses, na terça-feira, já foram resgatadas mais de 100 pessoas e 200 animais em áreas de difícil acesso e que exigiram técnicas avançadas para que o socorro fosse realizado.

Você não pode copiar o conteúdo desta página
Pular para o conteúdo